Ainda não inventaram uma saudade mais bonita que a nossa.

Eu me chamo Antônio.  (via adesejar)

Eu gosto de andar pela rua, bater papo, de lua e de amigo engraçado. Eu gosto do volume, do perfume, do ciúme, do desvelo e de abraço apertado. Eu gosto de artistas diversos, de crianças de berço e do som do atchim. Tem gente, muita gente que eu gosto, que eu quase aposto que não gosta de mim. Eu gosto de quem sempre acredita a violência é maldita e já foi longe demais. Eu gosto de inventar melodia, da palavra poesia e de palavra com til. Eu gosto é de beijo na boca, de cantora bem rouca e de morar no Brasil. Eu gosto assim de quem é eterno, de quem é moderno e de quem não quer ser. Eu gosto de varar madrugada, de quem conta piada e não consegue entender. Eu gosto de quem quer dar ajuda e acredita que muda o que não anda legal. Eu gosto é de ver coisa rara. A verdade na cara é do que gosto mais. Eu gosto porque assim vale a pena, a nossa vida é pequena e tá guardada em cristais. Eu gosto é que Deus cante em tudo e que não fique mudo morto em mil catedrais.

Oswaldo Montenegro.  (via com-versos)

Tinha um jeito que era só dela, um jeito particular mas que todos conheciam, aquele jeito que você não esqueceria. Seus olhos, sua boca, seu toque, seus jeitos e manias… Quando irritada se dizia, mas que com toda graciosidade não parecia, era ela, o motivo de minhas insônias, era ela, tinha nome.

Fred Medeiros. (via teleportear)

Acontece que quando anoitece o mundo se enche de “ai se eu pudesse”…

Eu me chamo Antônio. (via intimidadedegarota)

Você diz que ama a chuva,mas você abre seu gurda-chuva quando chove.
Você diz que ama o sol,mas você procura um ponto de sombra quando ele brilha.
Você diz que ama o vento,mas você fecha a janela quando ele sopra.
É por isso que eu tenho medo.
Por que você diz que me ama…

Willian Shakespeare  (excomungada)

Não diga nada, saiba de tudo, fique calada, me deixe mudo. Seja no canto, seja no centro, fique por fora, fique por dentro, seja o avesso, seja a metade. Se for começo fique a vontade, não me pergunte, não me responda, não me procure e não se esconda.

Chico Buarque.    (via serenavas)

Tinha um jeito que era só dela, um jeito particular mas que todos conheciam, aquele jeito que você não esqueceria. Seus olhos, sua boca, seu toque, seus jeitos e manias… Quando irritada se dizia, mas que com toda graciosidade não parecia, era ela, o motivo de minhas insônias, era ela, tinha nome.

Fred Medeiros. (via teleportear)

O que mais? Ela é tão linda! Não me canso de olhar para ela. Não me preocupo se ela é mais inteligente que eu: sei que é. É engraçada sem nunca ser má. Eu a amo. Sou muito sortudo por amá-la, Van Houten. Não dá para escolher se você vai ou não vai se ferir neste mundo, meu velho, mas é possível escolher quem vai feri-lo. Eu aceito as minhas escolhas. Espero que a Hazel aceite as dela. Eu aceito, Augustus. Eu aceito.

John Green.   (via lecionar)

A senhora me desculpe, mas no momento não tenho muita certeza. Quer dizer, eu sei quem eu era quando acordei hoje de manhã, mas já mudei uma porção de vezes desde que isso aconteceu. Receio que não possa me explicar, Dona Lagarta, porque é justamente aí que está o problema. Posso explicar uma porção de coisas, mas não posso explicar a mim mesma.

Alice no País das Maravilhas (via faz-sonhar)

Vou inventar avós que nunca morrem, e cachorros também. Eu vou inventar uma verdade sem problemas e um caminho doce pra poder voltar e catar todos os caramelos que tiraram de mim. E mesmo que tudo dê errado, mesmo assim, não tem problema. Eu deito no telhado de uma casa qualquer, olho pro céu e invento uma nuvem que chove sorrisos, bem em cima de mim.

Marcelo Camelo (via faz-sonhar)

Tem gente que encara tudo com uma seriedade absurda. A gente deve rir mais da vida e das desgraças. É claro que às vezes a coisa enrosca, aperta, complica, pesa. Mas tem que saber dar a volta por cima, rir, rir, rir. Rir absurdamente. Rir desajeitadamente. Rir escandalosamente. Inventar um riso e rir pra ele. Inventar um riso e rir dele mesmo. Inventar e rir de si mesmo.

Clarissa Corrêa. (via mearq)

Se algum dia lhe disserem que meu coração não bate mais por ti, pode ter certeza que eu morri.

Pablo Adôrno. (via frasea-r)